Você está aqui : Home > Cruzeiros > Navimag > Lugares de Interesses
Puerto Montt, Puerto Chacabuco, Lagoa São Rafael, Porto Edén e Puerto Natales
Puerto Montt
Se o visitante decide trasladar-se por mar, os vulcões e nevados da parte continental o manterão ocupado com câmara fotográfica em mão e extasiado perante tanta magnificência; o mesmo que experimentará se o destino são os pitorescos palafitos, essas extraordinarias casas sustentadas por colunas de madeira cravadas nas beiras do mar. Puerto Montt foi fundada em 12 de fevereiro de 1853 por Vicente Pérez Rosales acompanhado por imigrantes alemães, homens e mulheres que com coragem e firmeza colonizaram as aparentemente inóspitas terras do sul chileno. Graças a este impulso a cidade cresceu de forma vertiginosa.

Em 1912, com a chegada do ferrovia, se converteu no ponto neurálgico para aqueles que viajavam para a ilha de Chiloé e Magallanes. O desenvolvimento chegava através dos trilhos e do apito das locomotivas. Com o passo dos anos, a cidade foi crescendo e tornado-se mais próspera, mas a força da natureza se enfureceu com ela em 1960, quando um terremoto a destruiu quase que por completo; então, o espírito dos velhos colonos pareceu renascer para poder cumprir a tarefa de voltar a colocá-la em pé, a convertendo em 1979 na capital da X Região dos Los Lagos.

Hoje, é possível ver uma cidade com ruas sugestivas, casas com rasgos europeus, avenidas que galanteiam com o mar, mercados onde se rende culto aos peixes e mariscos. Isto, e muito mais, configuram o rosto desta incomparável cidade sulista, passo obrigatório para excitantes aventuras na Patagônia.

Suas atividades recreativas se relacionam principalmente com a navegação pelo Canal de Tenglo, contemplando a ilha do mesmo nome, Ilha Huar, Ilha Maillén, Porto pesqueiro, Ilha dos Los Curas e baía de Puerto Montt. A tradição obriga a visitar Angelmó, onde é possível degustar pratos típicos como "cancatos" e "curantos" em panela, além de percorrer diferentes locais de venda de mel, queijo, manteiga, xaropes de fruta silvestre, mariscos, peixes secos e frescos, entre outros produtos tradicionais da zona.

Um rasgo característico do clima de Puerto Montt são as precipitações permanentes. Todos os meses se apresentan chuvas, mas são mais intensas em junho, julho e agosto, sendo o promedio anual de 1.200 a 3.000 mm. Além disso, o clima nessa região do Chile apresenta uma umidade relativa de 80% e baixas temperaturas, com uma mínima de 4°C (julho a setembro) e uma máxima de 21°C.

Puerto Chacabuco
Ativo e florescente, Puerto Chacabuco é o principal terminal de transbordadores e o mega-porto de barcos grandes da região. Desde aqui se iniciam a grande maioria das viagens para a lagoa San Rafael e a outros lugares desta zona onde a natureza oferece reconfortantes aflorações termais, generosos bosques, impressionantes glaciais e fiordes, intermináveis canais, soberbas lagoas e um rosário de ilhas pródigas de vida marinha.

Além de ser o ponto de início para as excurssões aos principais atrativos naturais da região, Puerto Chacabuco é o centro das atividades marítimas e portuárias de Aysén, já que recebe numerosos barcos e transbordadores de grande calado, procedentes de alta mar.

Lagoa São Rafael
Com uma superfície total de 170 km2, esta Lagoa é parte do Parque Nacional Lagoa San Rafael, declarado em 1979 Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO. Com uma superfície total de 1.742.000 hectáreas, este parque compreende a totalidade dos Campos de Gelo Norte (440.000 hectáreas) onde se originam vários ventisqueiros, entre eles San Quintín, San Valentín, Leones e San Rafael.

Este último com uma longitude total de 45 Km e um avanço de frente de 3 a 4 Km de largura e 50 a 70 metros de altura, desemboca na lagoa do seu mesmo nome, onde se habilitou um cais para barcos menores que permite o acesso a um sendeiro, pelo qual se chega na base do ventisqueiro e a diversos mirantes intermédios. O derretimento da base do Glaciar San Rafael provoca o estrondoso desprendimento de grandes blocos de gelos, os que se encontram flutuando sobre as águas da Lagoa.

No meio deste cenário, os viajantes podem aproximar-se em lanchas e navegar através do manto branco dos gelos flutuantes disfrutando do tradicional uisque com gelos eternos. O clima é úmido e com abundantes chuvas no setor litoral, chegando aos 3.500 mm anuais. Nos setores altos chove e neva, alcançando os 5.000 mm anuais.

A temperatura média anual é de 5 ºC. Parque Nacional Lagoa São Rafael O Parque Nacional Lagoa San Rafael possui uma inesgotável fonte de água para os numerosos rios, arroios e esteiros que nascem dentro de seus límites.

Todos os rios formados em seu interior têm como fonte inicial um ventisqueiro e é comum que no seu curso tenham um lago ou lagoa. Em seus terrenos é possível observar as bondades de um ecosistema originário que acolhe uma exuberante gama de aves, tanto marinhas como terrestres, entre as que destacam o albatrozes-de-sobrancelha-preta, pato "huala", cisne de pescoço negro, e cormorao, entre muitos outros.

Também se podem observar delfins, lobos marinhos de um pelo, lontras marinhas e elefantes marinhos. Este fabuloso parque se encuentra no cume mais alto dos Andes Austral, o Monte San Valentín, de 4.058 m. e conta com atrativos sendeiros de trekking e zonas de camping. Outras atividades de grande popularidade são os passeios em bote, a escalada e a observação da flora e fauna.

Porto Edén: Último Refúgio dos Kaweskar
Esta pequena localidade costeira da Ilha Wellington, localizado ao norte de Punta Arenas, foi fundado nos anos trinta como base para hidroaviões da Força Aérea, que voavam entre Porto Montt e Punta Arenas. Alguns anos mais tarde, neste lugar foi confinada a dispersa população indígena kaweskar (alacalufes), formada por nómades marinheiros que percorriam as ilhas entre o golfo de Penas e o Estreito de Magalhães.

Porto Edén -localizado na Província da Última Esperança na XII Região- se encontra numa abrigada baía junto ao Canal Messier, na zona dos canais patagônicos. Sua população de 286 habitantes, aproximadamente, se dedicam a atividades de pesca artesanal (mexilhões e centolla principalmente), artesanato e turismo.

Enquanto que na cozinha, a especialidade são os "mexilões defumados". Este pequeno porto é o único povoado dos solitários paragens dos canais austrais entre Golfo de Penas e o Estreito de Magallhães. O povo é abastecido pelas embarcações como Navimag, que percorrem os canais patagônicos desde Porto Montt até Porto Natales e pelos barcos da Armada do Chile.

Kaweskar
Os kaweskar, kawésqar ou alacalufes são um povo de aborígenes nómades que se deslocavam em canoas pelos canais, fiordos e arquipélagos que se encontram ao sul da península de Taitao até as aproximações do Cabo de Hornos. Seu idioma é o kawésqar, nome com o que eles se autodenominam. Em seu idioma esta palavra significa "pessoa" ou "ser humano". O nome alacalufe originalmente tinha uma intenção despectiva e eles não o usam.

Os habitantes deste povo permanentemente navegavam entre canais e fiordos, serpenteando as ilhas, que eram inabitáveis por sua abundante vegetação. Se encontraram jazigos arqueológicos que mostra que percorreram esses rumos até 6.000 anos a.C.

Eram hábeis caçadores e pescadores que se alimentavam de lontras, huemules(veados), mariscos, peixes, aves, plantas, sementes e focas; animais dos que também aproveitam suas peles para se vestir e seus ossos para fabricar diversas ferramentas, como arpões e facas. Para se vestir usavam tanga e encima uma capa de couro.

Somente quando alguém falecia se pintavam a cara de preto em sinal de duelo. O pouco tempo que passavam em terra construiam pequenas cabanas redondas em sua base e que terminavam em ponta.

Glaciares
O glaciar Pio XI, se localiza na parte Norte do Campo de Gelo Sul, ao final do Seno Eyre. Se trata do maior glaciar do hemisfério sul com uma superficie de 1.242 kms, o transformando num verdadeiro colosso de gelo.

Sua frente é de aproximadamente 6 kms de largura, e suas torres se elevam por sobre os 75 mts, seu cumprimento desde Campos de Gelo, onde nasce, é de 60 quilômetros, o convertendo no maior glaciar de todo o hemisfério sul.

Esta grande catedral de neve em movimento tem várias frentes, uma que dá para o mar, outra enorme que dá para o norte e vários braços menores, tal geleira sobressai pelas suas mudanças de cores, azulinas e brancas, os que ressaltam quando se produzem os rompimentos da massa de gelo cada 5 a 10 minutos, seguidos de grandes ondas.

Apresenta uma característica que a faz diferente dos demais glaciares e é que continua seu processo de avanço, ou seja, se calcula que cresce tanto em longitude, altura e densidade, apresentando uma oposição à grande maioria dos glaciares que estão retrocedendo. Se calcula que este glaciar aumentou mais de 10 quilômetros nos últimos 50 anos.

O majestoso e belo glaciar Amalia, no entanto, se localiza na parte central dos Campos de Gelo Sul; sua longa silueta parece dependurar-se dentro das montanhas da cordilheira e vê-lo é todo um espetáculo, suas torres de gelo e o contraste do colorido com seu entorno emociona a qualquer observador.

Esta geleira tem uma largura aproximada de 1 Km. e uma altura de 40 mts, sua massa de gelo está em grande medida abastecida pelas intensas nevadas de quase todo o ano. É um dos 48 glaciares que nascem deste campo de Gelo, considerada a terceira reserva de água doce no Mundo.

Visitar estes monumentos de gelo se converte para o turista numa das experiências mais comovedoras que possam viver. É certo que alí o silêncio é beleza, mas também é verdade que o estrondo dos blocos de gelo que caem ao mar estremecem os sentidos. Se trata de conhecer o mais selvagem e inóspito da Patagônia chilena.

Torres del Paine
O parque, administrado pela Corporação Nacional Florestal do Chile, CONAF, tem 3 acessos: as portarias Sarmiento, lagoa Amarga e lagoa Azul. Além disso, a agência de viagem Comapa lhe oferece uma interessante alternativa de acesso em sua excursão Paine Fluvial. Alí você poderá disfrutar da magnífica experiência de navegar os canais patagônicos e aceder ao parque através do rio Serrano numa magnífica travessia.

O parque está cheio de atrativos. Se impõem, claro está, as Torres e os Cuernos del Paine, um conjunto de formações rochosas que se elevam verticalmente dando vida ao parque e por onde se traçam os principais sendeiros de trekking. Alguns dos impressionantes cumes do Parque são o monte Paine Grande, os mesmos Cuernos del Paine, as Torres del Paine, Fortaleza e Escudo.

Os lagos também protagonizam a cena. Entre eles se conta o lago Sarmiento, o Nordenskjold, o Pehoé, o Toro e o belo lago Grey, além dos Saltos Grande e Chico. No rio Serrano se pode encontrar boa pesca e no glaciar Grey se pode admirar uma das mais belas paisagens da zona.

Puerto Natales
Se de Puerto Natales se trata, esta pitoresca cidade tem muito que oferecer. Bordeando o canal Marino Señoret, se encontra a costaneira Pedro Montt desde onde se obtém lindas vistas do Seno de Última Esperanza e a península Antonio Varas, e algumas vistas dos glaciares Serrano e Balmaceda.

A praça Arturo Prat também resulta um pitoresco ponto da cidade. Nela se pode admirar a Igreja Parroquial, que data de 1930, e a prefeitura da cidade, localizada numa casa de grande valor histórico de princípios do século XX. O Museu Salesiano da fauna Alberto de Agostini exibe amostras de fauna nativa da zona e exemplares chilenos, enquanto que o Museu Municipal da conta de objetos arqueológicos locais.

Enquanto a passeios, Puerto Natales oferece algumas interessantes aventuras. O frigorífico Bories, a 4 kms da cidade, fundado pela Sociedade Exploradora Tierra del Fuego, é uma interessante exploração. Alí se pode ver como administravam os ingleses as sociedades ganadeiras de princípios do século. Puerto Prat, pelo camino a Torres del Paine, apresenta casas típicas dos imigrantes estrangeiros do princípio do século e um bonito cemitério.

A península Antonio Varas se pode visitar desde o cais Puerto Natales numa navegação de quase uma hora desde onde se disfrutam belas paisagens e se podem realizar cavalgadas. O morro Dorotea também oferece serviços de cavalgadas sobre uma formação montanhosa ao longo da pampa magalhânica.

Rotas da Navimag pelos canais patagônicos chilenos